diHITT - Notícias Arolde de Oliveira: Novembro 2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010

"A Voz do Brasil" repercute pronunciamento do Deputado Arolde de Oliveira

O programa "A Voz do Brasil", noticiário radiofônico público, de ontem, segunda-feira, 29, repercutiu um trecho do pronunciamento do Deputado Arolde de Oliveira do dia 23 passado sobre a escalada da violência no Rio. Eis a nota:

Locutor – Arolde de Oliveira, do DEM, manifestou sua preocupação com a violência no Rio de Janeiro que, na opinião do deputado, toma contornos de guerrilha e de terrorismo.

Locutor – Arolde de Oliveira, do DEM, disse que os ataques de criminosos contra a população civil e o patrimônio público constituem um episódio inédito que demanda ação enérgica dos governos federal, estadual e da prefeitura." (Redação)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A União fez a força


Quando as autoridades de Segurança do Estado compreenderam que as ações dos traficantes haviam assumido contornos de guerrilha urbana e pediram o apoio das Forças Armadas, a situação de impotência das forças policiais e de perplexidade da população começou a ser revertida, quatro dias apos o início dos ataques.

Os três níveis de responsabilidade para reprimir o tráfico (Uniāo, Estado e Município) estão de parabéns, está sendo um inicio vitorioso e contundente e, dependendo das ações subsequentes, será um marco histórico no combate ao crime organizado. Inúmeras comunidades com o mesmo perfil da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão terão que ser tomadas do controle do tráfico, algumas emblemáticas como é o caso da Rocinha e do Vidigal.

Vamos continuar aplaudindo e apoiando as Forças de Segurança na ocupação das comunidades, abrindo caminho para que a integração a cargo da Prefeitura e do Estado tenham curso prioritário nas áreas sociais e de cidadania, transformando essas áreas em bairros da cidade.

Vamos esperar que a União, além do apoio das Forças Armadas e da Polícia Federal, cuide com mais afinco da repressão ao contrabando de armas e ao tráfico de drogas transfronteira.

Em tudo o apoio entusiasmado e permanente da população será fundamental.

Deputado Arolde de Oliveira

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Arolde, interlocutor da Cúria no Parlamento

O Deputado Arolde de Oliveira fez nesta manhã uma visita ao Arcebispo do Rio de Janeiro, D. Orani Tempesta, no gabinete da Cúria, na Glória, zona sul do Rio. Durante 20 minutos, os dois conversaram sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos 3 (PNDH 3) e se comprometeram a unir forças contra projetos que sejam ofensores aos valores cristãos.

Arolde entregou a D. Orani um DVD com reportagens dos principais telejornais com críticas de especialistas aos pontos polêmicos do programa: aborto, restrições à liberdade religiosa, casamento de homossexuais, descriminalização da maconha, entre outros.

O Arcebispo do Rio de Janeiro afirmou que o deputado será o seu interlocutor na Câmara dos Deputados, inclusive para os evangélicos.

Arolde, por sua vez, avaliou o encontro como muito importante, apreciou a simplicidade e a sabedoria de D. Orani, assim como a forma que ele valoriza a liderança. Ele também se prontificou a representar a Arquidiocese do Rio no Parlamento no que se refere às posições comuns. (Redação)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Comissão da Câmara aprova software livre na administração pública

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) aprovou hoje proposta que garante preferência para softwares livres na contratação de bens e serviços de informática pela União, pelos estados, pelo Distrito Federal e pelos municípios. O Deputado Arolde de Oliveira que integra a CCTCI luta pela a adoção do software livre na contratação de bens e serviços de informática pela União desde 2006.

Pelo texto, software livre é aquele que garante a qualquer usuário, sem custos adicionais: a execução do programa para qualquer fim; a redistribuição de cópias; o estudo de seu funcionamento, permitindo a sua adaptação às necessidades do usuário, seu melhoramento e a publicação dessas melhorias; e o acesso ao código fonte.

A adoção de software livre possui três objetivos: aumentar a competitividade da indústria nacional de software, oferecer condições de capacitação para trabalhadores do setor e diminuir o gasto público com o licenciamento de programas de computador. Estima-se que o Estado, em todos os seus níveis, gaste cerca de 2 bilhões de dólares por ano com pagamento de aluguel de licenças de programas-proprietários. (Agência Câmara/Redação)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Terrorismo urbano no Rio de Janeiro?

O Deputado Arolde de Oliveira fez um pronunciamento nesta tarde, na Câmara dos Deputados, sobre a escalada da violência no Estado do Rio, especialmente, na cidade do Rio de Janeiro.

Sr. Presidente, Deputado Alceni Guerra, meus caros colegas, eu pedi a palavra para fazer o registro especial, no dia de hoje, sobre essa questão da violência na cidade do Rio de Janeiro, no Estado do Rio de Janeiro.
Estamos acostumados a ver nas manchetes dos jornais e na imprensa, de um modo geral, notícias sobre a violência em grandes cidades. Mas, no Rio de Janeiro, Sr. Presidente, colegas, nós estamos percebendo que é movimento orquestrado e que toma contornos já de terrorismo urbano.
Como representante daquele Estado, eu fico muito preocupado porque vejo algumas declarações de que a responsabilidade é de A ou é de B. Quero dizer que entendo que a responsabilidade pela segurança pública, principalmente na área do crime organizado, onde tem a droga, onde tem a arma que é contrabandeada, a droga que é trans-fronteira também, é uma responsabilidade integral, tripartite, é do Governo Federal, é do Governo Estadual e é também dos Municípios. Precisamos entender dessa forma.
O povo carioca, principalmente, está assustado, já não sabe mais que roteiros escolher para se deslocar para os locais de trabalho.
Teremos uma Olimpíada em 2016. Houve um esforço enorme dos Governos Federal, Estadual e Municipal para que nós a acomodássemos. No entanto, dessa forma com que a violência ocorre nas cidades e no Estado, corremos o risco de perder a perspectiva de realizar as Olimpíadas de 2016, o que seria uma tragédia para centenas de milhões de reais que estão sendo investidos nas cidades, para o bem das cidades, para gerar emprego, para o desenvolvimento das cidades.
Portanto, quero pedir às autoridades responsáveis que atentem para esse fato, pois não basta o Ministro da Justiça se colocar à disposição. Se se configurar guerrilha, teremos que convocar inclusive as Forças Armadas para que nos ajudem a coibir essa violência.
Muito obrigado, Sr. Presidente.

A oposição responsável de Arolde de Oliveira

A entrevista para o Reencontro (sábados, às 7h45) que o Deputado Arolde de Oliveira gravou na TV Brasil irá ao ar dia 18 do próximo mês. Ele afirmou ao Pr. Flávio Lima, jornalista e âncora do programa, que o seu oitavo mandato que se inicia em Fevereiro de 2011 será um dos mais dinâmicos, já que se colocará enquanto uma oposição responsável.

Arolde de Oliveira contou que ficou bem impressionado com o primeiro discurso da Presidente eleita Dilma Roussef porque "ela se comprometeu por escrito com os compromissos da campanha para o segundo turno".

O deputado afirmou que os temas polêmicos do PNDH 3 que tanto questinou devem ser trazidos para o debate de toda a sociedade, antes de serem transformados em leis.

Arolde disse que as lideranças evangélicas que apoiaram a Presidente eleita, funcionarão a partir do ano que vem como "apólices de seguro" quanto o respeito à Constituição da Chefe do Executivo. (Redação)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Programas católicos e evangélicos devem sair do ar na TV Brasil

O Conselho Curador da EBC (Empresa Brasileira de Comunicação) deve tirar do ar os programas católicos e evangélicos hoje veiculados pela TV Brasil e pelas oito emissoras de rádio que compõem a rede pública criada pelo governo Lula.

Assim tendem a decidir os integrantes do conselho da EBC que analisarão a questão em 7 de dezembro.

O tema religião, porém, não será banido. A ideia é que seja abordado de forma mais ampla, sem programa específico sobre uma ou outra crença.

A proposta deve ser apresentada para votação do conselho sob a forma de uma minuta de resolução.

Está madura entre os conselheiros a ideia de que a rede pública deve aumentar o diálogo com as religiões.

“Elas [as religiões] já possuem tempo em redes privadas para divulgar seu proselitismo. Dar espaço também na rede pública me parece antidemocrático”, diz o conselheiro Daniel Aarão Reis.

Os programas que devem sair da grade são “Reencontro” (evangélico), “Santa Missa” e “Palavras da Vida” (católicos).

Porém uma consulta pública sobre o tema mostrou que, de 140 propostas apresentadas, 118 pediam a manutenção da programação.

Apenas 13 reivindicavam a exclusão dos programas com o argumento de que o Estado brasileiro é laico. (Folha Online)

O Menestrel, performance teatral de Moacir Reis


Para um break na segunda-feira. Um momento de poesia e performance teatral. O Menestrel, poesia de Veronica Shoffstall, interpretado por Moacir Reis, que por sua vez, inspirou-se no teatro shakesperiano. (Informativo Rio)

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A quantidade de celulares superou o número de habitantes no Brasil: a história dessa revolução

Os dados preliminares do Censo 2010, elaborado pelo IBGE, apontam que o Brasil tem 185,7 milhões de habitantes, assim, a relação celular/pessoa no país já é superior a um desde julho, quando o país atingiu 187 milhões de linhas de telefones móveis. Mas esse número, segundo a Anatel, em outubro passava de 194 milhões. O Deputado Arolde de Oliveira foi relator do Projeto de Lei que abriu a Banda B da telefonia móvel à iniciativa privada, passo que antecedeu à Lei Geral das Telecomunicações, em 1997. Hoje registramos o resultado dessa verdadeira revolução no crescimento extraordinário do mercado da telefonia móvel. Arolde resume o momento histórico que contou com a sua participação e liderança do então Ministro das Comunicações do Governo FHC, Sergio Motta.

"O Brasil já ultrapassou a respeitável marca de um telefone celular por habitante. Foi graças a visão do Ministro das Comunicações Sergio Motta, de saudosa memória, dentro do arrojado programa de privatização do setor de telecomunicações do Governo FHC. Não foi fácil vencer as barreiras impostas pela oposição atávica da época. Tive o privilégio de relatar o Projeto de Lei que abriu a Banda B da telefonia móvel celular à iniciativa privada. Foi a pedra angular que levou até a Lei Geral das Telecomunicações, e que nos trouxe aos dias de hoje, em tão pouco tempo, a uma infraestrutura de comunicações comparável às maiores e melhores do mundo. Nossas homenagens a memória do Serjão, como era chamado carinhosamente."(Informativo Rio)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Jornal da Câmara repercute agradecimento aos fluminenses

O Jornal da Câmara repercutiu sob o título “Reeleição” na seção Pinga-Fogo o agradecimento do Deputado Arolde de Oliveira ao povo fluminense por sua reeleição.

"Arolde de Oliveira (DEM-RJ) agradeceu ao povo fluminense por tê-lo reconduzido ao mandato de deputado federal. O deputado lamentou a atitude do governo federal e de alguns governadores eleitos por não terem colocado no debate eleitoral a volta da CPMF. “O imposto foi rechaçado pela Câmara, e agora a população manifesta a sua insatisfação pela volta desse encargo em todos os meios de comunicação, especialmente pela internet”, destacou." (Redação)

"XÔ CPMF" agora em livro

Deputado Arolde de Oliveira recebe o exemplar autografado pelo Deputado Paulo Bornhausen

Parlamentares da Oposição no relançamento do movimento contra a CPMF

O Deputado Arolde de Oliveira compareceu ao lançamento do livro "Xô CPMF", do colega Deputado Paulo Bornhausen, líder do Democratas e também responsável pelo relançamento do movimento contra o imposto. O livro narra a história da primeira edição da campanha XÔ CPMF.

Na apresentação do livro, Bornhausen enfatiza que “o povo não pode, não precisa, não merece pagar os impostos extorsivos que lhes são cobrados” e lembra que o volume pago em tributos pelos brasileiros aumentou ainda mais nos últimos oito anos.

– Infelizmente, a apresentação que fiz para o livro se mostra super atualizada. O governo do PT só esperou o resultado das eleições para se mostrar como realmente é: o Partido dos Tributos, diz o líder do Democratas.

Ainda na apresentação, Bornhausen afirma que “o fim da CPMF incomoda até hoje o governo do PT porque comprova que o país melhora com a diminuição de impostos, e não o contrário como apregoam”. O prefácio é assinado pelo presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior. A versão eletrônica do livro está disponível no endereço www.issuu.com/xoimposto/docs/xoimposto.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Democratas descarta fusão e discute fortalecimento interno

A Comissão Executiva Nacional do Democratas reunida ontem (16), na sede do partido em Brasília, decidiu, por unanimidade, discutir um plano interno de ação para o fortalecimento da legenda com vistas às eleições municipais de 2012 e gerais de 2014.

Ficou determinado, por unanimidade, que na reunião da Executiva Nacional de 8 de dezembro, o presidente, Deputado Rodrigo Maia, apresentará o programa de revitalização do partido a nível nacional. (Redação)

A recepção da família e dos fans ao Grammy Latino 2010

Papai Arolde beija a filha Marina pelo prêmio
Fans e familiares na comissão de recepção da cantora brasileira premiada
Cristina Xisto, Yvelise de Oliveira, Marina, Arolde de Oliveira e as filhas da cantora, Letícia e Luiza

Foi sábado, 14 de novembro, no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, a cantora Marina de Oliveira recebeu uma justa homenagem da sua família e dos seus fans. Ela estava com o colar de premiada, em razão do seu CD Extremidade ter sido escolhido como o Melhor Álbum de Música Cristã, na cerimônia de entrega do premio, em Las Vegas, Estados Unidos. (Redação)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Comissão aprova novo fuso horário para o AC e parte do AM

O Deputado Arolde de Oliveira, titular da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, foi o relator que deu parecer favorável à alteração do fuso horário do estado do Acre e parte do estado do Amazonas, que voltou ao fuso Greenwich menos cinco.
A mudança havia sido proposta em 2009, no Projeto de Lei No 5.983, do Deputado Marcelo Serafim, ao alterar o inciso "c" do art. 2º da Lei n.º 2.784, de 18 de junho de 1913, visando modificar o fuso horário do estado do Acre e parte do estado do Amazonas do fuso Greenwich "menos quatro" para o fuso "menos cinco", duas horas de diferença de Brasília.
O projeto foi aprovado com um substitutivo do relator porque, no original, se alteraria também os horários legais do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rondônia.
O Deputado Arolde de Oliveira concordou com o argumento de Marcelo Serafim, para quem a mudança de fuso horário foi feita apenas “para atender às pressões de grupos de mídia, que tinham de ajustar sua grade de programação”.
“Passado mais de um ano, a população afetada ainda tenta se adaptar a uma mudança que foi feita especialmente para atender interesses comerciais. Argumenta o autor do Projeto em tela que, para as famílias dessas localidades, é como se fosse horário de verão durante todo o ano. Ou seja, crianças vão para a escola e trabalhadores, ao trabalho, quando ainda está escuro. Além dos transtornos físicos e psicológicos, ocorre perda de aproveitamento escolar, em razão da redução do número de horas de aula nas escolas, e, por outro lado, aumento do consumo de energia,” afirma Arolde.
“Reiteramos a argumentação do autor da proposta de que um País com dimensões continentais como o Brasil, que aspira tornar-se uma potência mundial, comporta perfeitamente ter quatro fusos horários, lembrando que Nações como os Estados Unidos, o Canadá e a Rússia possuem mais de quatro fusos horários e nunca tiveram, em razão disso, problemas de integração interna ou de ordem econômica.”
(Redação/Agência Câmara)

Câmara lança projeto de participação popular em audiências das comissões

A Câmara inaugura nesta semana o projeto piloto de um novo mecanismo de participação popular, por intermédio de e-mail, em audiências públicas promovidas pelas comissões. Qualquer cidadão poderá enviar perguntas para o e-mail pergunte@camara.gov.br, direcionadas aos convidados de audiências públicas pré-definidas. Duas comissões já aderiram ao projeto preliminar, idealizado e conduzido pela Agência Câmara de Notícias: a Comissão de Direitos Humanos e Minorias e a Comissão de Educação e Cultura.

As audiências selecionadas serão transmitidas ao vivo pela Agência Câmara (www.agencia.camara.gov.br) e terão cobertura jornalística em tempo real.

A partir de hoje, as perguntas já poderão ser enviadas aos convidados do seminário "Emergências Socioambientais e Direitos Humanos: Novos Paradigmas da Prevenção de Desastres", que será promovido pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias na próxima quinta (18). Os e-mails deverão ser enviados com o campo assunto CDH.

Veja aqui quem são os convidados a participar do seminário.

As perguntas serão encaminhadas aos deputados que integram a comissão, para que eles possam redirecioná-las aos convidados no momento do debate. Isso porque, de acordo com o Regimento Interno da Câmara, apenas os deputados têm direito ao uso da palavra em audiências públicas. Desse modo, caberá aos parlamentares selecionar as perguntas que serão feitas aos participantes do debate. (Agência Câmara/Redação)

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Marina de Oliveira ganha o Grammy Latino

A cerimônia foi em Las Vegas, EUA
"Na Extremidade", foi considerado Melhor Álbum de Música Cristã

A cantora carioca Marina de Oliveira ganhou ontem, em Las Vegas, o Grammy Latino de Melhor Álbum de Música Cristã, com o CD Na Extremidade lançado este ano. A cantora, precursora do gospel moderno, completou 25 anos de carreira. Na mesma categoria concorreram ainda Paulo César Baruk, Soraya Moraes, padre Zezinho e a banda católica Rosa de Saron.
O Deputado Arolde de Oliveira, pai de Marina, disse que a vitória tem um significado especial na comemoração dos seus 25 anos de carreira, especialmente, depois da viuvez e perda do irmão, no início deste ano. Arolde afirmou que para a gravadora MK Music o premio atesta o reconhecimento da crítica internacional à qualidade da produção musical da empresa, que já recebeu quatro troféus.
O deputado lembrou que a cantora, uma das precursoras do gospel moderno, foi bem sucedida em ampliar os palcos do gênero, tirando-o do interior das igrejas para teatros e praças. Ele acha que os estudiosos de música terão esta dimensão do trabalho de Marina de Oliveira, no futuro.
Muito emocionada, a cantora brasileira agradeceu a Deus, fonte de sua inspiração, à sua mãe, Yvelise de Oliveira, presidente da gravadora e aos colegas. “Este Grammy é de todos vocês. Muchas gracias" afirmou Marina, após receber o troféu, um gramofone, das mãos da apresentadora Barbara Palacios. (Informativo Rio)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Temer reafirma compromissos com evangélicos

Arolde: "Temer transformou-se na apólice de seguro da democracia"
Deputados da Frente Evangélica Parlamentar reúnem-se com Presidente da Câmara Michel Temer

O Presidente da Câmara Michel Temer reuniu ontem os deputados da Frente Evangélica Parlamentar no seu gabinete onde teve oportunidade de reafirmar compromissos de interesse da comunidade evangélica.

O Deputado Arolde de Oliveira citou a importância da história de Michel Temer e do PMDB na luta pela democracia na chapa presidencial.

O deputado lembrou que Temer é fiel às tradições do partido, construídas a partir de Ulisses Guimarães passando por Tancredo Neves.

” Como tal transforma-se na apólice de seguro de que o Brasil não abrirá mão das liberdades individuais, coletivas e das instituições democráticas que desfruta-se no momento. E, assim, será fator do seu fortalecimento, ” afirmou Arolde de Oliveira. (Redação)

"CPMF, triste ilusão" no Informativo do Democratas

O artigo do Deputado Arolde de Oliveira _ "CPMF, triste ilusão" _ foi publicado na capa do Informativo Parlamentar do Democratas que circula na Câmara dos Deputados (ao lado, na reprodução).

Quero lamentar profundamente a atitude do governo e de alguns governadores eleitos que, de certo modo, traíram seus eleitores por não terem se posicionado contra a criação da CPMF durante a campanha. E, tão logo eleitos, já se manifestaram a favor da criação de mais um tributo, de mais um imposto que irá incidir diretamente sobre o salário dos aposentados, dos pensionistas, enfim, de todos aqueles que têm algum tipo de movimentação bancária. Isto é um absurdo! Recentemente esta matéria foi rechaçada pela nação brasileira, por meio de seus representantes no Congresso Nacional. E agora volta a matéria. Convoco a Nação para entrar em cena, usando os meios democráticos, a internet, para comunicar e demonstrar a insatisfação com a criação de mais um imposto. O eleitorado foi, repito, traído, porque na época da campanha eleitoral foi anunciado que a carga tributária do povo brasileiro não seria aumentada. Não podemos admitir isso. Vamos lutar contra a criação de mais um imposto, e, com certeza, o povo irá para as ruas se posicionar contrariamente.

É preciso lembrar que não existem vitórias absolutas, nem derrotas definitivas. E nós estamos num espaço de negociação a fim de lutar pelo melhor para o povo brasileiro. Não vamos admitir rolo compressor na Câmara dos Deputados, não obstante haja maioria significativa da base do governo. Temos de ser aquela voz que defende os verdadeiros interesses da nação brasileira. É para isso que me posiciono.

OPINIÃO

Alerta à Nação brasileira sobre a liberdade de imprensa

Sr. Presidente, caros colegas, nós estamos assistindo neste momento, paralelamente aos trabalhos desta Casa, a uma discussão que se inicia sobre a questão, com um nome pomposo, “convergência de mídias, de telecomunicações”.

Ouço os argumentos apresentados, os conferencistas que estão vindo apresentar suas ideias, todos de fora, e penso que não existem argumentos para qualquer instituição de novos marcos regulatórios nessa área em nosso País.

Nós desfrutamos de plena liberdade em nosso País. A liberdade de imprensa é fundamental para que se mantenha a democracia. Sem liberdade de imprensa, não há democracia, não há transparência na gestão.

O Estado de Direito está implantado; nós temos é que fortalecer as nossas instituições. Essa discussão orquestrada, inclusive com propostas inconstitucionais de alguns estados, de criação de órgãos, como comissões de comunicação social, para controlar o conteúdo da imprensa, para fiscalizar, é visivelmente inconstitucional.

O art. 22, inciso IV, da Constituição, atribui privativamente à União essa competência, essa atribuição. Parece que há um movimento que não tem nada a ver com o novo marco. O que podemos depreender disso, que não seja isso, não quero que seja isso, o que se pretende é estabelecer um controle, além do necessário, por parte do Estado para a instauração de um estado ideológico. Fui surpreendido hoje quando vi uma manchete no jornal O Estado de S.Paulo, onde o Ministro das Comunicações diz que está disposto a ir ao enfrentamento para fazer essa regulamentação. Ora, para haver enfrentamento tem que haver dois lados. Aliás, ele é um especialista em enfrentamento. Quando ele tentou há 40 anos na sua juventude implantar o comunismo no Brasil, juntamente com a sua corriola, ele era bom de enfrentamento: foi enfrentado e foi derrotado.
Não quero acreditar, meus caros colegas, que ainda existe esse rancor e esse revanchismo vindo daqueles tempos. Esta é uma página virada na nossa história.

O Brasil andou, e tem andado, para frente, a democracia está se consolidando, temos dado demonstrações disso. Não podemos abandonar esse rumo que estamos seguindo. Esse modelo democrático de preservação do Estado de Direito, das liberdades básicas, direito de expressão, liberdades de cultos, liberdade de ir e vir, direito de propriedade, são fundamentais na sociedade e no estado de direito. Então, não quero acreditar que esse Ministro esteja falando alguma coisa séria. O que estará acontecendo e se passando na cabeça do Ministro da Comunicação Social? Ele é um especialista em enfrentamento, e realmente fiquei preocupado.

Alerto a Nação brasileira. Muito obrigado, Sr. Presidente. (Pronunciamento do Deputado Arolde de Oliveira, no Grande Expediente, 10/11/2010)


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Arolde agradece reeleição e compromete-se com as liberdades

Sr. Presidente, prezados colegas Parlamentares, as minhas palavras são de agradecimento ao povo do meu Estado, Rio de Janeiro, pela confiança depositada, mais uma vez, a minha candidatura de Deputado Federal. Essa votação foi a mais expressiva, nesses 8 mandatos consecutivos, concedidos pelo entendimento e pela generosidade do povo do Rio de Janeiro.
Estou muito feliz. Posiciono-me como sempre, com a mesma postura, defendendo coisas que considero fundamentais para as liberdades democráticas, Estado de Direito, liberdade de imprensa, religiosa e de culto. Enfim, nos 8 mandados, sempre estive posicionado ao lado dessa sociedade, que entende o que é melhor para o Brasil. Essa é a minha posição. Muito obrigado a todos.
Quero também, num segundo item, Sr. Presidente, lamentar profundamente a atitude do Governo e de alguns Governadores eleitos que de certo modo traíram os seus eleitores porque não colocaram a criação da CPMF na pauta das suas campanhas. E tão logo eleitos já se manifestaram a favor da criação de mais um tributo, de mais um imposto, um imposto direto, que incide diretamente sobre o salários de aposentados, de pensionistas, enfim, de todos aqueles que têm movimentação bancária. Isso é um absurdo, esse assunto foi tratado recentemente, foi rechaçado pela Nação brasileira, através de seus representantes no Congresso Nacional. E agora volta esse assunto. Eu convoco a Nação para entrar em cena, usando os meios democráticos, os meios da Internet, para comunicar e para mostrar a insatisfação com a criação desse imposto, com essa traição ao eleitorado, porque na época da campanha foi anunciado que não seria aumentada a carga tributária do povo brasileiro. Não podemos admitir isso. E nós vamos lutar, e será o povo que irá para a rua usando os instrumentos democráticos para se posicionar contrariamente a esse absurdo, a essa traição que foi cometida para com o eleitor. É preciso lembrar, Sr. Presidente, que não existem vitórias absolutas, nem derrotas definitivas. E que nós estamos num espaço de negociação para acharmos aquilo que é melhor para o povo brasileiro. Não vamos admitir rolo compressor nesta Casa, não obstante haja maioria significativa da base do Governo. Nós temos de ser aquela voz que defende os verdadeiros interesses da Nação brasileira. É para isso que eu aqui também me posiciono.
Muito obrigado, Sr. Presidente e caros colegas.
Deputado Federal Arolde de Oliveira
(Redação)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Culto da Rádio 93: Deputado Arolde apresenta seu pastor como o pregador da noite

Pr. Magner Ferreira diz que o culto da 93, em sua igreja, foi um presente de Deus

Deputado Arolde cumprimenta a igreja cheia

Arolde apresenta o pastor de sua igreja, Pr. Wander Gomes

Deputado Arolde, partor auxiliar da igreja, Pr. Magner Ferreira e Pr. Wander Gomes


O Pr. Magner Ferreira, pastor presidente da Assembléia de Deus de Marechal Hermes, expressou como presente de Deus o Culto da Rádio 93 FM realizado ontem (8) em sua igreja. Com muita alegria, o Deputado Arolde apresentou o pregador da noite, e também, seu pastor, Pr. Wander Gomes da PIB do Recreio, cujo deputado é membro. Os louvores ficaram por conta de Arianne, Léa Mendonça e Minstério Sopro de Deus e a igreja foi abençoada com uma mensagem rica baseada em Neemias 1;11.
(Redação)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Arolde de Oliveira participa de confraternização em Miguel Pereira

Mário Neves, Arolde, Albertassi, Sr. Antônio Lobão, Adam Barros e Talles Barreiros

Arolde, Rev. André Esteves, Helena Moura, Albertassi, Pref. Macarrão, Talles Barreiros e Afonso Veículos

Arolde, Talles Barreiros e Albertassi

Talles Barreiros, Albertassi, Neia Watanabe, Arolde, Carol Watanabe e Rev. André Esteves.


No último sábado, dia 6, em Miguel Pereira (Região Centro-Sul do Estado do Rio de Janeiro), em evento promovido pelo Subsecretário de Cultura, Talles Barreiro, estiveram presentes o Deputado Federal Arolde de Oliveira, juntamente com várias lideranças, como pastores, o Prefeito da Cidade, Roberto Macarrão e o Deputado Estadual Edson Albertassi. O evento foi realizado em comemoração à vitória do Deputado Arolde nas eleições deste ano. (Redação)



sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Contra a CPMF

De saída, percebemos um atitude por parte dos aliados do Governo para ressuscitar a CPMF, o que é uma injustiça. A medida comprometeria todos os assalariados, pensionistas e aposentados que recebem em contas bancárias.

A CPMF extinta em 2007 não é a melhor forma de obter recursos. Por exemplo: o próprio Fundo Social do Pré-Sal poderia ser utilizado durante um certo tempo para este fim. Outra sugestão: é extinguir ajudas que consomem milhões de reais e são disperdiçadas nas ONGs, sindicatos e associações.

Enxugar a máquina do Estado com funcionários concursados é uma outra boa medida para economizar os gastos para serem aplicados nas áreas prioritárias como saúde e educação.

Por fim, a mudança para o orçamento impositivo, de forma a saber o destino de cada centavo arrecadado no País.

Deputado Arolde de Oliveira

Oposição republicana

O discurso da Presidente eleita Dilma Roussef de forma concreta ratificou os itens de compromissos afirmados na campanha, principalmente no primeiro e segundo turnos. O que levou à vitória se colocou num discurso escrito e lido para o Brasil e o mundo.

Nele, observamos compromissos relativos à liberdade de imprensa, às liberdades democráticas, religiosas e de culto e também com a erradicação da miséria que freia os índices de Desenvolvimento Humano, como recentemente vimos na imprensa.

O respeito às liberdades que a Nação brasileira conquistou e que tem na Constituição a sua Lei Magna.

Nossa oposição será uma oposição responsável , republicana, zelosa da coisa pública e do próprio país.

Deputado Arolde de Oliveira

Nem vitória absoluta nem derrota definitiva

Temos entendido que em política não existe vitória absoluta nem derrota definitiva. Vimos isto tanto durante o primeiro quanto no segundo turno das eleições presidenciais.

Observamos uma ampla negociação que permitiu a vitória. O Governo negociou, também a candidata eleita e a oposição apresentou debates para que fossem inseridos novos compromissos.

Após a eleição, ouvimos um discurso lido, sem ser pautado pelo improviso nem pela emoção. Nele vimos ratificados compromissos assumidos nas negociações e, enquanto oposição ficamos tranquilos.Ficamos satisfeitos.

O discurso da Presidente eleita Dilma Roussef torna-se então um documento e instrumento de cobrança esplícito para 42 por cento do eleitorado que votou no Serra. Faremos uma oposição responsável em prol do Brasil.

Deputado Arolde de Oliveira

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Um discurso bem colocado; uma oposição pontual

Hoje é o primeiro dia útil após a livre escolha dos nossos governantes e nossos representantes.

A Presidente eleita Dilma Roussef a partir de 1º de janeiro torna-se uma instituição, e como tal requer todo o nosso respeito, apoio e orações.

Gostaria de dizer três coisas a vocês:

1) Tenho autoridade como político de oposição para me colocar não como inimigo, mas como um adversário que fará uma oposição pontual e, assim, apoiará o que for positivo para o Brasil.

2) O seu discurso, publicado no Brasil e no mundo todo, foi bem colocado, e não deixou margem para interpretação equivocada que poderia ocorrer em pronunciamento de improviso feito com a carga emocional do momento.

No discurso lido, a Presidente eleita reafirmou os compromissos de campanha de maneira formal em relação às liberdades democráticas, liberdades religiosas e o respeito à Constituição.

3) No seu discurso ela também se compromete em erradicar a miséria e o analfabetismo, grilhões que tem acorrentado o nosso povo.

Fazemos votos que a Presidente eleita e as equipes de trabalho da transição promovam um governo de paz e capaz de cumprir os compromissos assumidos na campanha, principalmente, a anterior ao segundo turno das eleições presidenciais.

Deputado Arolde de Oliveira

ADD em Santa Cruz celebra Ceia do Senhor

Deputado Arolde cumprimentou os irmãos da ADD em Santa Cruz
Momento de Oração
A Catedral das Assembléias de Deus em Santa Cruz (Cadesc), presidida pelo Pr. João Pedro, e localizada na rua Francisco Belizário, zona oeste do Rio, celebrou ontem à noite a Ceia do Senhor. O Deputado Arolde de Oliveira participou da cerimônia e saudou a congregação.

Plenário retoma votações com 11 Mps

Na primeira semana de trabalhos após as eleições, o Plenário da Câmara tem a pauta trancada por 11 MPs, mas uma delas já perde a vigência nesta quarta-feira (3). Os deputados também devem analisar requerimentos de prorrogação de CPIs. A pauta inclui ainda o projeto sobre o fundo social e royalties do pré-sal. (Redação/Agência Câmara)